BR  |   US

Proteção de dados: boas práticas para sua empresa

Biometric technology background with fingerprint scanning system on virtual screen digital remix

Você sabia que ontem, 28 de janeiro, foi comemorado o Dia Internacional da Proteção de Dados?

Esta é uma data muito importante que ajuda a promover uma internet mais segura para todos, respeitando as diretrizes de privacidade.

Atualmente, diversos países promovem ações como treinamentos, produção de materiais de conscientização, debates e seminários sobre o tema.

Pensando nisso, reunimos uma lista com dicas para proteger os dados da sua empresa!

Tipos de dados

Antes de tudo, é preciso entender algumas diferenças de tipos de dados que, de acordo com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), são divididos em:

Dados Pessoais

Qualquer informação relacionada a uma pessoa identificada ou identificável. Isso inclui, mas não se limita a, nome, endereço, número de telefone, endereço de e-mail, número de identificação e outros dados que podem ser usados para identificar uma pessoa específica, por exemplo.

Dados Sensíveis

São dados pessoais que merecem uma atenção especial devido ao seu potencial impacto na privacidade e na segurança. Ou seja, incluem informações sobre raça, etnia, orientação sexual, crenças religiosas, filiação sindical, opiniões políticas, informações de saúde e dados biométricos.

Nesse sentido, a legislação de proteção de dados muitas vezes impõe restrições mais rigorosas ao tratamento de dados sensíveis para garantir uma proteção adequada.

Dados Públicos

Informações que estão disponíveis de forma acessível ao público em geral. Em outras palavras, são informações podem ser obtidas de fontes públicas, como registros públicos, documentos oficiais, sites governamentais e outros.

Embora esses dados sejam considerados públicos, é importante ter em mente que seu uso deve estar em conformidade com as leis e regulamentos de proteção de dados.

Dados Anonimizados

Dados anonimizados são informações que foram alteradas ou processadas de forma a não mais identificar uma pessoa específica. Contudo, é importante observar que a eficácia da anonimização pode variar e os dados anonimizados devem ser tratados com cuidado para evitar a reidentificação.

A utilização de dados anonimizados é comum em pesquisas e análises estatísticas, proporcionando uma camada adicional de proteção à privacidade, por exemplo.

Esses dados, por sua vez, podem passar por uma classificação de dados (que os divide em categorias como dados públicos, internos, confidenciais e restritos). Assim, esta classificação ajuda as empresas a desenharem estratégias de mitigação de riscos e auxilia em auditorias de dados.

Dicas para proteger os dados da sua empresa

1. Conheça a LGPD e suas implicações

Primeiramente, é fundamental entender as disposições da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados). Esta legislação, inspirada no Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia, visa garantir o tratamento adequado das informações pessoais.

Da mesma forma, é importante se familiarizar com os princípios da LGPD e se certificar de que sua empresa está em conformidade.

2. Atualize suas políticas de privacidade

Revise e atualize suas políticas de privacidade para refletir as diretrizes da LGPD. Informe os usuários sobre quais dados estão sendo coletados, como serão usados, bem como por quanto tempo serão armazenados.

Enfim, a transparência é fundamental para construir confiança.

3. Proteja sua rede e dispositivos

Certifique-se de que sua rede e dispositivos estejam protegidos por firewalls, antivírus e outras medidas de segurança. Em suma, mantenha sistemas operacionais e software atualizados para corrigir vulnerabilidades conhecidas.

4. Eduque sua equipe

A conscientização é fundamental. Realize treinamentos regulares para sua equipe, destacando práticas seguras, como o uso de senhas fortes e a importância de não compartilhar informações confidenciais.

5. Minimize a coleta de dados

A coleta excessiva de dados aumenta os riscos de violações. Ou seja, avalie quais informações são estritamente necessárias para suas operações e minimize a coleta de dados pessoais.

Do mesmo modo, menos dados significam menos exposição a possíveis ameaças.

6. Adote medidas de criptografia

A criptografia é uma ferramenta eficaz na proteção de dados. Sendo assim, utilize-a para proteger informações sensíveis durante a transmissão e enquanto estão em repouso. Logo, isso adicionará uma camada extra de segurança aos seus dados.

7. Implemente controles de acesso

Restrinja o acesso aos dados, garantindo que apenas pessoal autorizado tenha permissão para acessar informações sensíveis. Desse modo, reduza as oportunidades de vazamento de dados internos.

8. Realize auditorias de segurança regularmente

Conduza auditorias de segurança periodicamente para identificar possíveis vulnerabilidades. Isso permite correções proativas e mantém sua infraestrutura protegida contra ameaças emergentes.

9. Prepare-se para incidentes de segurança

Desenvolva um plano de resposta a incidentes para estar preparado caso ocorra uma violação de dados. Ou seja, saiba como notificar as partes afetadas e as autoridades competentes de acordo com os requisitos da LGPD.

10. Monitore as mudanças na legislação

O cenário legal relacionado à proteção de dados está em constante evolução. Portanto, mantenha-se informado sobre as mudanças na legislação e ajuste suas práticas de segurança conforme necessário.

Ao seguir essas dicas, você dará o primeiro passo para fortalecer suas defesas digitais contra ameaças, além de cuidar da confiança de seus clientes e parceiros.

Além disso, há uma série de outras medidas que podem ser tomadas para auxiliar na cibersegurança da sua empresa. Conte com nossos especialistas!

Compartilhe:
Escrito por Belago

Olá! Este artigo foi pensado, desenvolvido
e escrito pela equipe de especialistas da Belago. Esperamos que você tenha gostado :)

Conteúdo relacionado